blog do mundo mult

10 dúvidas frequentes sobre a vacinação da Covid-19

18/07/2021

A vacinação contra a Covid-19 é um tema muito importante, mas que ainda gera algumas dúvidas.

Em 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS), juntamente com diversas empresas e institutos de pesquisa, correu para desenvolver soluções para combater o coronavírus.

Até o momento, não existe tratamento cientificamente comprovado, e a forma mais eficiente que temos de nos proteger é a vacinação. Aqui, no Brasil, o processo se iniciou em janeiro de 2021, mas ainda gera incertezas em muitas pessoas.

Por isso, vamos esclarecer as principais delas agora!

 

1 – As vacinas contra a Covid-19 são seguras?

A segurança das vacinas talvez seja a principal dúvida que as pessoas têm em relação ao processo de vacinação.

Tanto a OMS quanto os órgãos reguladores nacionais, como a Anvisa, realizam procedimentos clínicos para testarem a segurança dos imunizantes.

Dessa forma, nenhuma vacina pode ser aplicada sem antes passar pela aprovação das autoridades competentes.

 

2 – Qual é a eficácia das vacinas contra o coronavírus?

A eficácia das vacinas da Covid-19 é testada nos ensaios clínicos antes de elas serem aprovadas e continua sendo monitorada após sua aprovação.

O nível mínimo de eficácia recomendado pela OMS e pela Anvisa é de 50%. No entanto esse número pode mudar de acordo com diversos fatores, como a idade e a presença de doenças crônicas nos infectados, as variantes existentes do vírus, entre outros.

 

3 – Quem pode tomar a vacina?

A vacinação é recomendada para todas as pessoas. Todavia, caso a pessoa tenha algum histórico de alergia a alguma vacina, deverá antes consultar um médico.

Pessoas que possuem câncer ou estão em algum tratamento que comprometa o funcionamento do sistema imunológico também devem procurar um especialista.

 

4 – As vacinas da Covid e da gripe podem ser aplicadas juntas?

Não há, até o momento, indícios que comprovem a segurança de receber as vacinas da Covid-19 e da gripe juntas.

Por essa razão, o Ministério da Saúde recomenda que haja um intervalo de pelo menos 15 dias entre a aplicação de cada uma delas.

Assim, deve-se dar prioridade à vacina contra o coronavírus, aguardando o intervalo estabelecido para receber a imunização da gripe.

 

5 – Quem tem sintomas da gripe pode tomar a vacina da Covid?

Não é recomendado tomar a vacina nessa situação, por conta de o sistema imunológico estar fragilizado.

O ideal é aguardar os sintomas passarem e permanecer em isolamento durante o período, já que os sinais da gripe e os da Covid são parecidos.

 

6 – Em quanto tempo a vacina surte efeito?

Os imunizantes contra o coronavírus produzem resultados após algumas semanas da aplicação. Isso porque o nosso corpo leva um tempo para produzir os anticorpos que nos protegem.

Com as vacinas mais comuns, aplicadas em duas doses, estamos mais protegidos a partir da segunda ou da terceira semana após a última aplicação.

 

7 – Por quanto tempo a vacina me protege?

O processo de vacinação no mundo todo tem apenas alguns meses de experiência. Portanto não se sabe ao certo o período de duração das vacinas, e esses estudos estão sendo realizados atualmente.

Com o tempo, será possível sabermos se a vacina deverá ser aplicada anualmente ou irá oferecer proteção a longo prazo. As observações feitas até o momento, porém, indicam que os imunizantes agem por pelo menos quatro meses.

 

8 – Quais reações posso ter à vacina?

Qualquer tipo de vacina pode gerar alguma reação em nosso corpo. As mais comuns são dor no local da aplicação, cansaço, febre e dor de cabeça. Esses efeitos, entretanto, são leves e duram poucos dias.

Não existem quaisquer outros efeitos causados pela vacina comprovados cientificamente.

 

9 – Posso tomar duas vacinas diferentes?

A recomendação é que cada pessoa tome apenas um tipo entre as vacinas disponíveis, na primeira e na segunda dose.

Não existem, até o momento, estudos realizados a partir da aplicação de dois tipos distintos de vacinas.

 

10 – Devo continuar seguindo os protocolos mesmo após a imunização?

Sim. Todos devemos continuar mantendo os protocolos de segurança contra o coronavírus – como usar máscara, manter o distanciamento social e higienizar as mãos frequentemente.

A vacina não elimina por completo a transmissão do vírus, e mesmo as pessoas imunizadas podem transmiti-lo. As normas devem ser mantidas até que uma grande parte da população esteja protegida.

 

Portanto todos nós devemos nos manter seguros e seguir as recomendações de segurança até que estejamos protegidos. E lembre-se: a vacina salva vidas!

E para manter a sua saúde e a da sua família em dia, conheça os planos especiais que a Multsaúde tem para lhe oferecer!

 

                     

Leia também